top of page

Como superar o término de um relacionamento


Olá, como você está?


É provável que esse tema tenha te chamado atenção por alguns motivos:

  1. você gosta dos meus textos;

  2. algum momento você já passou por um término difícil e tem interesse nesse tipo de conteúdo e;

  3. você está passando por um momento de término e, provavelmente, você vai concordar comigo quando eu digo que a maioria dos términos são um saco.

Me diga, por qual desses motivos você tem acompanhado aqui?


Como eu sempre digo, cada experiência é bastante individual e a reação de cada um depende de inúmeros fatores. No entanto, seja vivida com maior ou menor intensidade, o término costuma ser um acontecimento perturbador e que traz emoções como ansiedade, angústia, irritação, alívio e outros.


Nesse sentido, alguns pesquisadores dedicaram-se a estudar as estratégias de enfrentamentos mais eficazes que podem ser utilizadas depois de um término. E vamos de passo a passo?




Como superar um término:

1. Permita-se sofrer (no seu tempo)

Chora mesmo, sabe? Apesar de desagradável, para elaborar devidamente o fim de uma relação e “seguir em frente” é preciso permitir-se sofrer elaborando esse fim. Para alguns podem ser algumas semanas, enquanto para outros serão precisos meses.


Atenção: É verdade que cada um tem o seu tempo, mas caso o sofrimento seja muito prolongado ou atrapalhe significativamente as atividades do dia-a-dia, não deixe de procurar um profissional da área da psicologia!


2. Tudo bem silenciar ou bloquear das redes sociais

Muita gente leva isso como um comportamento infantil, mas pera ai, falar é fácil quando não é você que está sentindo, né? Se você não consegue lidar com isso no momento e "stalkear" piora a sua situação, então...


Terminamos uma relação e a ausência do outro se mistura com a presença das redes sociais, de modo que “superar” se torna ainda mais difícil. Esse contexto ainda abre espaço para comportamentos pouco adaptativos como a ruminação e a comparação. Nesse caso, saiba que silenciar ou retirar a pessoa das suas redes sociais pode ser uma forma de autocuidado.


3. Esteja ao redor das suas pessoas preferidas

Isolar-se geralmente não é uma boa solução e pode potencializar emoções “desagradáveis”, como a angústia e a tristeza. Já estar na presença de pessoas queridas por nós, costuma estar ligado a sensação de amparo e amizade, emoções mais agradáveis e maior bem-estar.

E olha, a amizade tem um poder e tanto na nossa vida, viu!?


4. Racionalize

Chore, busque amparo nos seus amigos e saia para lugares que você goste, mas não se esqueça de refletir sobre esse antigo relacionamento. Muitas vezes em términos tendemos a só perceber os lados positivos da relação e isso acaba intensificando um sentimento de solidão. Esquecendo de outros possíveis fatores ligados ao motivo do fim desse relacionamento.


Nesse momento, conversar com alguém (amigos, família e/ou com o seu terapeuta) pode ser interessante. Caso não se sinta confortável, você pode embarcar em atividades de reflexão própria através da escrita ou de outros meios de expressão.


No fim das contas, o objetivo é perceber também os pontos negativos da relação e direcionar a sua atenção para as consequências positivas desse término (como mais tempo para investir na carreira, para sair com amigos, descobrir novos hobbies ou até um livramento de um relacionamento não saudável). Desse modo, podemos ressignificar o término da relação e ter um olhar mais realista.


4. É o início de um novo ciclo!

A vida é feita de ciclos que se encerram e muitas vezes não são de fácil despedida, mas por mais clichê que pareça o fim de alguns ciclos são a oportunidades para o início de outros. Coisas novas estão por vir!


O fim de um relacionamento pode possibilitar a retomada de um relacionamento melhor com si mesmo. Por isso, embarcar em atividades prazerosas são boas opções nesse momento. Talvez um hobbie que você gostaria de tentar, algo que você fez no passado e deixou de fazer, uma nova atividade física ou novos planos para o futuro.


Vale repetir que a reação de cada um é muito diferente e às vezes uma estratégia bacana para alguém não faça o menor sentido para você. E claro, se você está passando por isso e acredita que está difícil enfrentar sozinho, não deixe de pedir ajuda. Você não está sozinho(a).


E ai, você já usou ou usa alguma dica desse passo a passo?


---

Laura Sengès – IG: @Laurasenges.psi

Psicóloga Clínica (CRP05/59459)

Mestra em Psicologia | Coordenadora do Carreira Psi

Linktree: linktr.ee/laurasenges.psi

Referências:

Marcondes, M. V., Trierweiler, M. & Cruz, R. M. (2006) Sentimentos predominantes após o término de um relacionamento amoroso. Psicol. Cienc. Prof. v.26 n.1. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932006000100009

Nascimento, R.B., Araujo Filho, E.S., Cerqueira, G.L., Carneiro, D.G., & Carmo, E.S.S. 2021. Após o fim de um relacionamento amoroso: uma revisão narrativa. Pubsaúde, 7, a233. DOI: https://dx.doi.org/10.31533/pubsaude7.a233




12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page