top of page

Dificuldades em lidar com conflitos? Se liga aqui!


E ai "treteiros" de plantão, como vocês estão!?

Se você tem dificuldades em lidar com conflitos, esse texto é pra você.


Quem está me acompanhando por aqui sabe eu sempre faço algumas perguntas, trago alguma reflexão ou que friso a importância do diálogo nas relações. E, finalmente, eu vou explicar o porquê ressalto tanto a questão da comunicação.


Pre-pa-ra!


Um breve histórico sobre como as coisas começaram, foi com uma das mais célebres ideias de Aristóteles. Aristóteles trouxe que o homem é um ser político e que precisa estar em relação com outros. E, sim, Aristóteles tem razão. Acho que você pode concordar comigo que, independentemente de qual fase da vida você esteja agora, você sempre esteve em relação com esses “outros” mais ou menos diferentes de você.

Desse modo, os conflitos com amigos, colegas de trabalho, família e com o(a) cônjuge são naturais e vão acontecer. Na verdade, por mais clichê que pareça, os conflitos são necessários para o nosso processo de diferenciação, aprendizado e crescimento.


No entanto, nem sempre as discordâncias são resolvidas com facilidade e essa é uma das principais questões nas relações. “Jogar para debaixo do tapete” ou “partir para briga", ao contrário de resolver conflitos, parece agravar os já existentes ou criar novos. Definitivamente, uma das principais vias para se chegar a um lugar-comum e resolver conflitos é dialogando.


No entanto, a forma como nos comunicamos na relação pode ser um grande divisor, pois aí mora o perigo da comunicação não efetiva. Por exemplo, quando se fala, mas não ouve genuinamente o que o outro está dizendo. Quando as falas não são assertivas. Quando a mensagens permite duplas interpretações, ou seja, são vagas e se espera que o outro entenda as entrelinhas. Ou quando se dá maior ênfase ao que é negativo, se é ríspido ou autoritário mesmo sem intenção. Ou quando se é defensivo, não havendo espaço ou disponibilidade para compreender o outro.


A dica principal é: Conversem mas também saiba escutar!


Uma comunicação eficaz é caracterizada, por clareza e especificidade, ou seja, comunica-se o que se pensa ou quer com assertividade - com calma e objetivo. Também, comunicam-se as insatisfações com gentileza e empatia e presta-se atenção no que o outro tem a dizer.


Falar e ouvir é difícil mesmo, mas entrar num conflito também é. O que você prefere?


Na prática, essa não é uma tarefa fácil, mas é uma habilidade que pode ser adquirida, trabalhada e aprimorada. E, claro, se precisar de ajuda, não deixe de procurar um profissional! #Vemcomigo



---

Laura Sengès – IG: @Laurasenges.psi

Psicóloga Clínica (CRP05/59459)

Mestra em Psicologia | Coordenadora do Carreira Psi

Linktree: linktr.ee/laurasenges.psi


Referências:

Peçanha, R.F, & Rangé, B.P. (2008). Terapia cognitivo-comportamental com casais: uma revisão. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, 4(1) Recuperado em 17 de julho de 2022, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-56872008000100009&lng=pt&tlng=pt.


Bereza, E.A.; Martins, J.P.; Moresco, L.; Zanoni, S.H.M.S. (2005). A influência da comunicação no relacionamento conjugal. Arq. Ciênc. Saúde Unipar, Umuarama, 9(1), jan./abr. p.31-0. Recuperado em 17 de julho de 2022, de https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/lil-421268













9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page